sexta-feira, 22 de julho de 2011

Conferência traz ao Cariri o Pr. Jefferson Quevedo



Conferência traz ao Cariri o Pr. Jefferson Quevedo

Na ocasião, ele apresentou um projeto pioneiro de formação de missionários na Índia


A Conferência Missionária 2011 da AMEN, realizada nos dias 28 a 30 de abril no Seminário Batista do Cariri - SBC, em Crato, discutiu o tema “Missões, privilégio ou responsabilidade?”. O evento teve a participação de membros das 30 igrejas Batistas Regulares da região. O destaque ficou por conta das palestras do pastor e missionário Jefferson Quevedo, que trabalha num projeto inovador: propagar o cristianismo na Índia através dos próprios indianos.

Organizada pela AMEN, Associação de Missões Estrangeiras e Nacionais do SBC, a Conferência trouxe ao Cariri o Pr. Jefferson Quevedo, da Primeira Igreja Batista Regular de Curitiba, acompanhado de sua esposa Irmgard Meyer Soares, com quem tem quatro filhos: Juliane, 22, Jefferson Wilhelm, 20, Jairo, 18 e Jeanne, 16. O missionário tem visitado igrejas em todo o país buscando apoio para a execução do Projeto Visão Brasil-Índia 2020.

O Projeto
Visão Brasil-Índia 2020 é um trabalho desenvolvido pela Missão Batista Brasileira Fundamentalista - MBBF, um esforço conjunto de igrejas nacionais para evangelizar cada região da Índia. O projeto iniciou-se no ano 2000, tendo o ano de 2020 como alvo. O diferencial é o método utilizado: ao invés de enviar missionários brasileiros à Índia, os próprios cristãos indianos são preparados para evangelizar os povos não-alcançados, isto é, comunidades onde não há cristianismo.





“é um país extremamente populoso
(mais de seis vezes a população do Brasil,
num espaço três vezes menor)
e muito carente do evangelho.”



De acordo com o Pr. Jefferson “os missionários nacionais indianos são mais fáceis de ser recebidos e de ser sustentados.” O custo médio é de apenas R$ 300,00 a R$ 500,00 por mês para sustentar um missionário indiano, bem mais barato do que enviar um missionário brasileiro, que só na viagem de ida e volta à Índia gasta cerca de R$ 5.000,00, fora o que é necessário para manter-se no país. Além disso, pesam também as barreiras culturais e linguísticas. Estima-se que existam 24 línguas e 1600 dialetos no país, sendo o híndi e o inglês os idiomas oficiais.

O trabalho não se restringe à formação e sustento de missionários, mas inclui também a compra de materiais evangelísticos, construção de igrejas e ajuda humanitária. Em 2009, na viagem de reconhecimento, o missionário visitou 20 igrejas, 25 seminários, além de várias escolas e orfanatos na Índia. Mas, segundo o Pr. Jefferson, ainda há muito a fazer: “é um país extremamente populoso (mais de seis vezes a população do Brasil, num espaço três vezes menor) e muito carente do evangelho.”

A Índia não é um país muito receptivo ao cristianismo. A constituição do país assegura a liberdade religiosa, no entanto as leis locais, dos estados e municípios, ferem esta constituição. Segundo dados de outra missão, a Portas Abertas, a Índia ocupa o 32º lugar no ranking de países por perseguição aos cristãos, o que inclui tanto católicos como protestantes. No país não é permitida a entrada de missionários, mas a ajuda humanitária é bem recebida. “Minha esposa é técnica em enfermagem e gosta muito dessa área. Isso poderia ser uma chave para entrar naquele país”, afirma o missionário.



A Conferência
Além do missionário Jefferson Quevedo, a Conferência Missionária 2010 contou também com oficinas de métodos de evangelismo e relatórios do trabalho de campo de alguns missionários caririenses. Para realizar o evento, a equipe da AMEN vem se mobilizando desde o ano passado através de venda de lanches, de camisas, além de ofertas voluntárias das igrejas e do próprio Seminário Batista.

Fundada em 1981, a AMEN faz também reuniões semanais no Seminário e divulga missões nas igrejas do Cariri uma vez por mês, através de uma equipe especial. O objetivo é sempre o mesmo: convocar pessoas e igrejas para trabalharem na divulgação do cristianismo no Brasil e no exterior.

_______________________________________________


MISSÕES, PRIVILÉGIO OU RESPONSABILIDADE?

Este foi o tema escolhido pela AMEN para a Conferência Missionária 2011, abordando a necessidade de compreender “missões”, assunto que, para os cristãos “é relevante e urgente”, segundo Pedro Gomes, 19, seminarista e membro da Igreja Batista Regular do Novo Juazeiro. Para ele, “é um evento importante, pois desperta os jovens tanto para ir, como para ajudar outros que já estão no trabalho missionário”.

Mariângela Salviano, 19, também seminarista e membro da Igreja Batista Regular da Paz, em Juazeiro do Norte, participa da equipe da AMEN desde o ano passado. Ela afirma que as palestras lhe deram uma nova visão sobre a sua vocação. “Antes eu pensava em trabalhar no Cariri com meninas que sofreram abuso. Ainda quero trabalhar nisso, mas há algum tempo Deus vem me mostrando outro lugar, e essa Conferência só confirmou.”

“Vários seminaristas têm compartilhado comigo como Deus tem falado a seus corações”, afirma o Pr. Jefferson. Para ele, a Conferência é uma oportunidade de ouro, pois nela reúnem-se vários missionários em potencial. “Missões é tanto um privilégio, uma dádiva de Deus, como também uma responsabilidade, pois deve ser feito da maneira que Deus quer”, completa o seminarista Pedro Gomes, mostrando o que aprendeu no evento.



Débora Silva Costa
(Notícia apresentada pela estudante no 1º semestre de 2011 na disciplina de Jornalismo Impresso I, do curso de Jornalismo na UFC - Cariri)
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...