sexta-feira, 16 de setembro de 2011

A alegria do Senhor é a nossa força


Manuscrito da Torah pertencente ao acervo da Kahal Zur Israel, 
a primeira Sinagoga judaica das Américas, em Recife - PE.

"Tinha Débora dezoito anos de idade quando começou a reinar... E fez o que era reto aos olhos do SENHOR... Sucedeu que, quando os servos da rainha consertavam o templo, o sumo sacerdote se deparou com um achado importante: o livro da Lei do Senhor! Ele correu para contar a notícia ao secretário: ‘Encontrei o livro da Lei no templo do Senhor’. Com o rolo em mãos, o secretário retornou ao palácio e o leu para a rainha. Assim que Débora ouviu as palavras do livro da Lei, rasgou suas vestes...

Ops! Me empolguei em meus devaneios... rsrs
É óbvio que essa história não é minha. Essa é uma adaptação do episódio que mais me chama atenção na história de Josias, relatada em 2Reis 22 e 2Crônicas 34. Foi mais ou menos essa a emoção que senti (claro que não ao ponto de rasgar minhas roupas! rsrs) quando vi pela primeira vez um manuscrito da Bíblia, na minha viagem a Recife. Senti-me “na pele” de vários personagens bíblicos que tiveram esse privilégio de ler ou ouvir as palavras da Lei do Senhor.

Segundo o relato bíblico, Josias foi filho e neto de dois reis – Amom e Manassés, respectivamente – que trouxeram a ruína sobre Judá adorando ídolos e perseguindo as pessoas que serviam ao Senhor. Depois do assassinato de seu pai, Josias foi constituído rei. Mas ele tinha apenas 8 anos de idade! Mesmo sendo tão jovem, Josias foi um dos melhores reis de Judá, trazendo o maior reavivamento espiritual na história daquele povo. No décimo oitavo ano de seu reinado, em meio às obras de reparação do templo, os seus servos descobriram o Livro da Lei que por muitos anos vinha sendo negligenciado pelo povo de Deus.

Da mesma forma lembrei-me de Moisés, o primeiro homem a conhecer a Lei, escrita pelo dedo de Deus em tábuas de pedra e transmitida aos homens no Monte Sinai. Depois da longa escravidão no Egito, o povo de Israel enfim estava livre, mas ainda faltava o principal: chegar à terra prometida. O pecado era real e constante, por diversas vezes no deserto o povo já tinha aborrecido a Deus. Mas Ele é tão misericordioso que deu sua Lei escrita, para regular o pecado daquele povo rebelde e mostrar-lhes um padrão a seguir. Aqueles homens tiveram uma experiência inigualável, pois dessa vez foi o próprio Deus que ditou os Dez Mandamentos (Êxodo 20:18-20):

“E todo o povo viu os trovões e os relâmpagos, e o sonido da buzina, e o monte fumegando; e o povo, vendo isso retirou-se e pôs-se de longe. E disseram a Moisés: Fala tu conosco, e ouviremos: e não fale Deus conosco, para que não morramos. E disse Moisés ao povo: Não temais, Deus veio para vos provar, e para que o seu temor esteja diante de vós, afim de que não pequeis.”

Por fim, pude recordar o episódio em que Esdras, o escriba, leu o Livro da Lei perante o povo de Israel. Esdras liderou a segunda expedição no retorno do cativeiro babilônico, que durara mais de 60 anos como castigo por séculos de pecado e idolatria do povo. Mesmo assim, no regresso a Jerusalém, Esdras se depara com um Israel que continua a adotar muitas práticas pagãs. Ele se torna então um reformador espiritual, chamando o povo ao arrependimento e à restauração. É muito interessante a atitude dos judeus quando, depois de décadas, ouviram a leitura da Lei do Senhor (Esdras 8:5-9):

“E Esdras abriu o livro perante todo o povo; [...] e, abrindo-o ele, todo o povo se pôs em pé. E Esdras louvou ao SENHOR, o grande Deus; e todo o povo respondeu: Amém, Amém! Levantaram as suas mãos; e inclinaram suas cabeças, e adoraram ao SENHOR, com os rostos em terra. [...] E leram no livro, na lei de Deus; e declarando, e explicando o sentido, faziam que, lendo, se entendesse. [...] E disseram a todo o povo: Este dia é consagrado ao SENHOR vosso Deus, então não vos lamenteis, nem choreis. Porque todo o povo chorava, ouvindo as palavras da lei.” 

Mas por que reações tão fortes?
Por que foi tão grande a emoção de Josias quando ouviu as palavras daquele livro, ao ponto de rasgar as suas roupas? E o temor do povo de Israel ao escutar a voz de Deus no monte Sinai, a ponto de se esconderem? E por que a devoção dos judeus quando Esdras leu a Lei, a ponto de chorarem?

Creio que, no caso de Josias, não foi pelo manuscrito em si, por ser uma relíquia sagrada (ele não era idólatra como os demais reis); muito menos pela importante descoberta histórica (ele também não era arqueólogo nem historiador pra se comover com isso!). No caso do povo de Israel, tanto liderados por Moisés como por Esdras, aquela emoção não foi por mera religiosidade (eles não tinham essas reações diante de outros deuses).

Foi por causa do conteúdo daquele livro que eles se emocionaram. Aquelas pessoas (Josias/ povo de Israel) não apenas ouviram as palavras da Lei, mas eles as compreenderam. Eles puderam conhecer a perfeição de Deus e o padrão que Ele estabeleceu para os homens. Perceberam o quanto estavam distantes da vontade do Senhor e se deram conta da condenação a que estavam expostos.

Tanto a atitude de rasgar as vestes, como de se esconder ou chorar, indicam arrependimento, reconhecimento de quem é Deus e, diante disso, quem nós somos e o que temos feito. O arrependimento genuíno deve atingir a razão, as emoções e a vontade, gerando uma mudança de pensamentos, palavras e atitudes. Como representantes de Israel, Josias, Moisés e Esdras decidiram buscar a Deus, levando também o povo a converter-se dos seus pecados, conhecer a Lei de Deus e adorá-lO.

Essa também deve ser a nossa atitude. Hoje em dia não temos mais acesso aos manuscritos originais, muito menos ouvir a voz de Deus de modo tão claro. Mas temos em mãos a Palavra de Deus preservada ao longo dos milênios, tudo o que precisamos para a nossa salvação e caminhada cristã.

  • Será que temos dado valor ao tesouro que temos?
  • Será que ainda nos comove ouvir e ler essas palavras?
  • Mais do que isso: será que essas palavras ainda nos convencem do nosso pecado e nos levam ao arrependimento?
  • E, por fim, será que essas palavras ainda nos trazem restauração à alma, paz e alegria?

"Portanto não vos entristeçais;
porque a alegria do SENHOR é a vossa força."
Neemias 8:10

Em Cristo,
Débora Silva Costa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não necessariamente refletem a opinião dos autores dos textos ou do blog. Não serão aceitos comentários anônimos, por favor, identifique-se.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...