domingo, 13 de janeiro de 2013

Posso ser sincero?




O que é o que é, uma coisa que todo mundo pede, mas na verdade ninguém gostaria de receber? Sinceridade.

Isso mesmo. Por definição, sincero é alguém em que não há engano, hipocrisia ou fingimento, que é honesto na intenção ou no falar. Na prática, porém, dependendo das circunstâncias em que ocorra, a sinceridade pode levar alguém à ruína, destruir relacionamentos e gerar desconfiança, desprezo e falsas interpretações. Entre o céu e o inferno, virtude e pecado, qualidade e defeito, amor e ódio: nada é mais simples e mais complicado que a sinceridade.

Há algum tempo, fazendo uma pesquisa com os jovens da minha igreja, pude constatar o quanto essa característica ainda é valorizada nos relacionamentos. Perguntados sobre o que eles mais admiram em uma pessoa, muitos responderam: sinceridade, integridade, honestidade, entre outros sinônimos, e para a pergunta “o que você não suporta?”, o resultado foi surpreendente: 90% responderam falsidade. Isso prova que só há relação onde há confiança, pois ela é a única garantia num mundo perdido em ilusão e fingimento.

E não só em termos de relacionamento com as outras pessoas, mas pensando também em benefícios pessoais, a sinceridade é com certeza muito mais vantajosa que uma clássica “mentirinha branca”. É só pensar sobre o quanto uma mentira, em vez de resolver o problema, pode trazer ainda mais transtornos: ansiedade, medo de ser descoberto, esforço físico e mental maior ainda para encobrir a verdade e confirmar a mentira contada, sem falar sobre o momento em que a outra pessoa descobrir, decepção, descrédito, dor...

Agora pense sobre as vantagens de ser sincero: o alívio, a paz e a consciência tranquila que você sente ao contar a verdade, relacionamentos saudáveis e fortes, o bom exemplo de caráter num mundo tão carente de valores, e a reputação confiável, que pode trazer ainda mais benefícios, pois cada um colhe o que semeia. Sem falar que a verdade liberta e transforma as pessoas: é preciso ser muito forte para assumir que é fraco, é preciso ser muito corajoso para confessar que tem medo, é preciso gostar muito pra dizer que não gostou, e é preciso ser muito sincero pra admitir que mentiu.

Ser honesto consigo mesmo e com os outros é um ótimo negócio, como você pode ver. Mas como é que a sinceridade às vezes é tão mal vista? O primeiro problema está nas pessoas: elas estão tão acostumadas a ouvir mentiras, que a franqueza pode assustar e fazer com que você pareça arrogante, indecente e desprezível. Todo mundo quer sinceridade, mas nem todo mundo aguenta a sinceridade. Mas é bem melhor ser rejeitado por ser sincero do que ser aceito sendo hipócrita.

O principal problema, porém, está em nós mesmos. É que na maioria das vezes não sabemos o quanto ser sinceros. Pouca sinceridade é uma coisa perigosa, e muita sinceridade é absolutamente fatal. É preciso encontrar o ponto de equilíbrio. Também há aqueles que não sabem como ser sinceros. Como disse o teólogo John Stott. “A verdade é dura se não for suavizada pelo amor. E o amor é mole se não for fortalecido pela verdade. Precisamos dessa combinação exata de verdade e amor.” E outra dificuldade é não saber de verdade o que é ser sincero. Sinceridade não é dizer tudo o que pensa. Sinceridade é algo que vai além de meras palavras: é não inventar desculpas, é não aumentar nem diminuir, é não dar indiretas, é não bajular, é não desprezar, é não iludir, é respeitar, é confessar, é refletir bem, e é também silenciar, quando os pensamentos não valem a pena ser ditos (Fp 4:8).

Sinceramente, enganar aos outros é tentar enganar a si mesmo e a Deus. Não esqueçamos que existe um Deus que é Santo, a quem devemos imitar (1 Pe 1:16), que é a Verdade, e quer nos libertar de uma vida de mentira e ilusão (Jo 8:32), que é Juiz e não deixará nenhum ato nosso sem a devida recompensa (Gl 6:7), mas que é também Fiel e Justo para perdoar a nossa falta de sinceridade (1 Jo 1:9).

“Deixem de mentir; falem a verdade, pois somos membros uns dos outros 
e quando mentimos estamos fazendo mal a nós mesmos.” 
Efésios 4:25 - Nova Bíblia Viva


Em Cristo,
Débora Silva Costa
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...